quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Loja Zara envolvida em Escândalo Trabalhista



Quando cheguei em casa na terça feira, dia 16/08/2011, fiquei realmente chocada e entristecida com a reportagem passada no programa de televisão ‘A Liga’, no qual o tema foi o trabalho escravo brasileiro.
No programa, dentre outras denúncias, foram mostradas duas fábricas ilegais, instaladas no Centro e Região Norte de SP, ao qual abrigavam trabalhadores descendentes de bolivianos e outros, que recebiam uma miséria de R$ 7,00 por cada peça de roupa produzida, além de serem privados de sua liberdade, tendo que morar no local de trabalho, com péssimas condições. Os mesmos produziam peças de roupas para a rede de lojas Zara – uma rede gigantesca de lojas - ao qual é mantida pelo grupo Inditex, que é dona de outras redes de lojas espalhadas pelo mundo.
Como eu sou uma consumidora das Lojas Zara, resolvi enviar um e-mail, manifestando minha indignação. Afinal, não posso adquirir peças de roupa numa loja, ao qual eu sei que utiliza mão de obra escrava. Se eu já acho o salário mínimo brasileiro absurdo para sustentar uma pessoa e/ou família, imagine essas pessoas que trabalham lá, que nem isso tem direito?!  
Enviei o e-mail ontem, dia 17/08/2011, e hoje, dia 18/08/2011, eles me responderam. Segue e-mail enviado, e e-mail respondido (Gente,  utilização de ‘Google Translator’ total, infelizmente não sou 100% boa em Inglês!). Se quiserem comentar, fiquem a vontade !

E-mail enviado – 17/08/2011

“Good afternoon,
I am shocked by the news that's going on slave labor in the manufacture of parts of the Zara brand in Brazil. The article wenton Brazilian television yesterday, and I really commit myself tonever buy a piece of this brand because I do not admit to contribute to the trade that uses people's suffering to promote themselves.
I believe that the Inditex has an obligation to give a public justification for its customers in Brazil, and also investigate the allegations closely.
I look for that reason, since I am an 'ex' consumer brand Zara.
I look forward to.”

“Estou chocada com a notícia de que está havendo trabalho escravo na fabricação de peças da marca Zara, no Brasil. A matéria passou ontem na TV Brasileira, e eu realmente me comprometo a nunca mais comprar uma peça dessa marca, pois não admito contribuir para o comércio que utiliza o sofrimento das pessoas para se promover.
Acredito que a Inditex tem a obrigação de dar uma justificativa pública no Brasil para seus consumidores, e também apurar as denúncias de perto.
Aguardo por essa justificativa, já que sou uma ‘ex’ consumidora da marca Zara.
Fico no aguardo.”

Resposta da Inditex – 18/08/2011

“Cara Sra. Tiemi,
 
Primeiro de tudo, gostaríamos de lhe agradecer por nos contatar e nos dando a oportunidade para esclarecer os fatos que você mencionou.
 
Os fatos, que não tenham sido completamente coberto por uma mídia brasileira, foram o resultado de um fornecedor brasileiro de ser contratado em uma subcontratação não autorizada do trabalho de uma fábrica no Brasil, onde os trabalhadores quinze foram encontrados para ser empregado ilegalmente por uma empresa subcontratada, sem o conhecimento Inditex. Inditex não tinha conhecimento desta situação e vai de encontro a Inditex Código de Conduta e nossa empresa tem tolerância zero para as infracções deste tipo.
 
Inditex pretende declarar o seguinte:
- Ao saber do caso, a Inditex exigiu o fornecedor responsável pelo arranjo de subcontratação fraudulenta para corrigir a situação imediatamente. O fornecedor aceitou a responsabilidade total e está pagando uma compensação financeira para os trabalhadores, conforme exigido pelas leis brasileiras e com o Código de Conduta da Inditex. Enquanto isso, o fornecedor deverá atualizar as condições de trabalho do subcontratado, a fim de torná-las compatíveis com aqueles em instalações auditadas e aprovadas pelo processo de inspeção do Grupo Inditex. O Ministério Brasileiro do Trabalho e Emprego mudou-se para legalizar a situação de emprego dos trabalhadores.

- Este caso constitui uma grave violação do Código de Conduta para a Inditex fabricantes externos e Workshops, que o fornecedor era contratualmente obrigada a cumprir. O Código de Conduta estabelece os requisitos que todos os fornecedores, seja direto do subcontratado, deve cumprir e visa salvaguardar os direitos dos trabalhadores em toda a extensão.

- Inditex, em conjunto com o Ministério Brasileiro do Trabalho e Emprego, vai reforçar a supervisão de seu sistema de produção, tanto no fornecedor mencionado e em todas as outras empresas no Brasil, a fim de evitar casos semelhantes no futuro.
 
Também gostaríamos de informar que a Inditex tem uma base estável de fornecedores de cerca de 50 empresas no Brasil, que todos respondem juntas por mais de sete mil (7.000) dos trabalhadores. Inditex Sistema de Auditoria Social permite que a nossa empresa para garantir que as condições gerais de trabalho em todo Inditex cadeia de produção brasileira, que fabrica vários milhões de peças por ano, atender aos padrões ideais e esta situação em particular é um caso isolado.
 
Os melhores cumprimentos. “

Meus parabéns ao programa ' A Liga', que retrata a realidade brasileira de forma crítica, despertando nossa consciência social, e nos incentivando a melhorar o mundo em que vivemos!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário