sexta-feira, 8 de maio de 2015

Afinal, o que vai ser do Brasil?





Para quem não ficou sabendo, ontem (dia 07/05/15) foi aprovado na Câmara dos Deputados as alterações do benefício Seguro – Desemprego, e Abono Salarial, onde novamente, o trabalhador é prejudicado. Claro que, as decisões são baseadas na “desculpa” de ajuste fiscal, onde o governo afirma que precisa se recuperar da crise que o país está enfrentando.

As mudanças resumidamente são:

*Medida Previsória 665 - O texto aprovado prevê que uma pessoa que solicite o seguro-desemprego pela primeira vez precisará ter trabalhado por pelo menos 12 meses (ao invés dos seis atuais). O governo queria originalmente que o prazo fosse de 18 meses, mas foi obrigado a recuar ;

*As novas regras que passaram na Câmara também estabelecem que o abono salarial será proporcional ao tempo trabalhado no ano e que só terá direito o benefício quem trabalhar formalmente no mínimo três meses. Antes, todo trabalhador de baixa renda (até dois salários mínimos) que trabalhasse pelo menos um mês com carteira assinada no ano podia requerer o benefício integral de um salário mínimo. O governo defendia ampliar esse prazo para seis meses, mas também teve que ceder nesse ponto ;

*As medidas de ajuste fiscal são consideradas essenciais pela presidente para reorganizar as finanças públicas e permitir a retomada do crescimento econômico. A meta inicial com as duas MPs era economizar R$ 18 bilhões neste ano, mas as alterações feitas pelos deputados reduziram esse valor em cerca de R$ 3 bilhões. 

*Fonte: Mariana Schreiber – Portal Terra

Óbvio, que minha revolta nesse assunto é total, visando que nós estamos cientes de escândalos de roubos absurdos que estão ocorrendo no país, e quem paga por isso? O trabalhador, é claro. Ninguém cogita a possibilidade de diminuir os salários dos deputados, que dormem (literalmente) em sessões da Câmara em vez de cumprirem com seu papel. Não, eles não podem ser afetados. Então, vamos tirar do mais pobre, sempre.

E no país Brasil, onde o governo afirma que estamos ‘cada vez mais ricos’, vejo cada vez mais pobreza. Gostaria de conseguir visualizar concretamente, onde o governo afirma que estamos ‘tão bem’. Preciso realmente ver para crer, pois o que vi de aumento de classe média, foi um na realidade um aumento de crédito/empréstimos na classe baixa – e isso não faz ninguém mais rico. Isso é uma ilusão. Ter acesso a crédito não significa que eu saí da pobreza, significa que vou pagar mais juros porque vou pegar emprestado por um dinheiro que eu não tenho.

Como uma cidadã que paga impostos, questiono sobre a real evolução do país, em que a inflação cresceu, os benefícios estão sendo tirados da população, e os escândalos de roubo correndo solto e nada do dinheiro roubado retornar aos cofres públicos.

E acho impressionante, observar a ignorância humana quanto ao lance brasileiro de política de ‘esquerda’ e ‘direita’. Virou uma verdadeira discussão de religião esse assunto. Se eu sou a favor de manifestações contra a corrupção do governo, sou da oposição, sou de ‘direita’. Gente?! NÃO SOU DE NADA! Quero ver o Brasil crescer, quero todo mundo melhor ! Não estou nem aí se quem fizer melhor ser PT ou PSDB. Eu quero o bem do meu país! Apenas isso! Não concordo de ser chamada de um 'lado ou de outro', eu vou sempre torcer por quem melhor aja a frente da organização desse país.
Todos os partidos tem sua corrupção, suas mentiras, suas ilusões. Ninguém é perfeito, muito menos Santo. Disso eu tenho absoluta certeza.

Apenas fico fielmente torcendo que alguma coisa de bom aconteça de novo nesse país. Pois do jeito que anda a situação, estamos indo de mal a pior. A luta pelo progresso dessa nossa querida terra ainda está longe de terminar – estamos no início de uma nova era de consciência política. As pessoas estão aos poucos, se politizando. (Incluindo eu.) Então, vamos torcer que essa nova consciência, não seja voltada a ser de ‘direita’ ou ‘esquerda’, e sim, voltada ao foco do que realmente importa – ver o cidadão brasileiro ter mais orgulho de onde vive, da sua luta diária. Isso é o que todos nós, brasileiros(as), merecemos. 

Mais amor, por favor!

Beijos,
Karen Thiemi